sábado, 18 de maio de 2013

A "Mona Lisa" de Leonardo da Vinci - Análise da obra


A pintura "Mona Lisa", realizada pelo pintor renascentista Leonardo da Vinci, representa uma enigmática figura feminina sobre uma paisagem que tem sido interpretada como o retrato de uma dama, provavelmente florentina. Apesar das reduzidas dimensões que apresenta (setenta e sete por cinquenta e três centímetros), adquiriu um significado mítico que ultrapassa em muito a sua real importância para a história da arte, eclipsando outras obras de maior interesse do seu próprio autor. Este fascínio advém em grande parte da ambígua e idealizada expressão da personagem, transmitida pelo seu misterioso sorriso.Imersa numa enigmática e complexa teia de interpretações pouco consensuais, esta pintura tem vindo a iludir todas as tentativas de atribuição cronológica e de identificação da figura representada.

Uma das versões, que recolheram maior unanimidade ou, pelo menos, maior divulgação, deve-se ao historiador e artista Giorgio Vasari que, em meados do século XVI, atribuiu a execução desta pintura a 1505. Vasari procurou com esta cronologia acentuar o seu retrato de um Leonardo genial (ideia que ainda perdura), tornando-o no mais importante e influente pintor renascentista. De facto, esta data permitia-lhe estabelecer uma filiação leonardesca para muitas pinturas de retratos da autoria de outro importante pintor renascentista, Rafael e realizadas precisamente por volta desta data. Segundo autores mais recentes, as características formais e estilísticas, nomeadamente ao nível da paisagem, do tratamento da cor e da modelação do panejamento, remetem esta obra para um período mais tardio, posterior a 1510. É de facto possível estabelecer um paralelo entre esta pintura e a solução cromática do negro sobre negro do quadro "A Virgem dos Rochedos".

Outra das dificuldades tem sido a interpretação temática (embora seja quase dogmaticamente reconhecido como um retrato) assim como a identificação da figura representada. Em 1550 Vasari atribuiu a uma pintura de Leonardo o nome de Gioconda, identificando a personagem como sendo Lisa Gherardini, mulher do mercador florentino Francesco del Giocondo, embora sem qualquer prova documental. No entanto em 1625, Cassiano del Pozzo identificou esta pintura com o retrato da Gioconda descrito por Vasari. Apesar de esta teoria ter sido posta em causa, é geralmente aceite que este quadro é o retrato de uma dama florentina.



Lillian Schwartz, cientista dos Laboratórios Bell, sugere que a Mona Lisa é na verdade um auto-retrato de Leonardo, porém, vestido de mulher. Esta teoria baseia-se no estudo da análise digital das características faciais do rosto de Leonardo e os traços do modelo. Comparando um possível auto retrato de Leonardo com a mulher do quadro, verifica-se que as características dos rostos alinham perfeitamente. Os críticos desta teoria sugerem que as similaridades são devidas ao facto de ambos os retratos terem sido pintados pela mesma pessoa usando o mesmo estilo.

A historiadora Maike Vogt-Lüerssen, sugeriu que a mulher por trás do sorriso famoso é Isabel de Aragão, Duquesa de Milão, para quem Leonardo da Vinci trabalhou como pintor da corte durante 11 anos.  O padrão do vestido verde escuro de Mona Lisa indica, segundo este estudioso, que o modelo é um membro da casa de Visconti-Sforza. O retrato de Mona Lisa terá sido o primeiro retrato oficial da nova Duquesa de Milão e pintado no Inverno ou Verão de 1489. São comparados cerca de 50 retratos de Isabel de Aragão, representada como a Virgem ou Santa Catarina de Alexandria  e conclui que a semelhança com a Mona Lisa é evidente. 
Tal como todos os quadros de Leonardo da Vinci, esta pintura foi realizada sobre tábua (embora em Itália fosse frequente a utilização de suportes em tela, desde o início da carreira do artista). Abandonando a têmpera, o pintor utilizou tintas de óleo que lhe permitiram aplicar, tanto na figura como na paisagem, um processo expressivo conhecido por sfumatto (esfumado). Este processo consistia na modelação das formas através de gradações delicadas de luz e sombra, obtidas pela mistura suave dos tons e das cores e pela diluição dos contornos, criando uma atmosfera velada e difusamente iluminada.
O grande rigor, perfeição e meticulosidade da representação de todos os elementos contidos no quadro foram suportados pelo aprofundado conhecimento da realidade (possibilitada pelo espírito analítico e científico de Leonardo) e pela observação cuidada dos fenómenos e dos objectos que pintou.

O quadro "Mona Lisa" encontra-se exposto no Museu do Louvre em Paris. A obra terá sido levada para França pelo próprio Leonardo, quando  foi convidado por Francisco I de França para trabalhar na sua corte. Francisco teria então comprado a pintura, que passou a estar exibida em Fontainebleau e, posteriormente, no Palácio de Versailles.

Só após a Revolução Francesa o quadro foi exposto no Museu do Louvre, onde se conserva até hoje. Napoleão Bonaparte ficou apaixonado pelo quadro desde a primeira vez que o viu, e mandou colocá-lo nos seus aposentos. Porém, durante as guerras com a Prússia, a Mona Lisa, bem como outras peças da colecção do museu francês, foi escondida num lugar seguro.
A 22 de Agosto de 1911, cerca de 400 anos após ser pintada por Leonardo da Vinci, a Mona Lisa foi roubada. Muitas pessoas, incluindo o poeta francês Guillaume Apollinaire e o pintor espanhol Pablo Picasso, foram presas e/ou interrogadas sob suspeita do roubo da obra-prima da pintura italiana. Quanto a Guillaume Apollinaire e a Pablo Picasso, foram libertados meses mais tarde. Acreditou-se, que a pintura estava perdida para sempre, que nunca mais iria aparecer. Todavia a obra apareceu em Itália, nas mãos de um antigo empregado do museu,Vincenzo Peruggia, que era de facto, o verdadeiro ladrão.

A pintura foi restaurada numerosas vezes. Exames de raios X mostraram que há três versões escondidas sob a actual. O revestimento em madeira mostra sinais de deterioração numa taxa mais elevada do que se pensou previamente, causando preocupação dos curadores do museu sobre o futuro da pintura.
Fontes: Mona Lisa. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. [Consult. 2013-05-18].
wikipedia (Imagens)
Ficheiro:Mona Lisa, by Leonardo da Vinci, from C2RMF retouched.jpg
A boca de Mona Lisa
File:Mona Lisa detail mouth.jpg
Detalhe dos Olhos
File:Mona Lisa detail eyes.jpg
Detalhe das mãos de Lisa, com a mão direita apoiada no seu lado esquerdo. Leonardo escolheu este gesto em vez de um anel de casamento para descrever Lisa como uma mulher virtuosa e fiel esposa
Arquivo: Mona Lisa detalhes hands.jpg













14 comentários:

  1. este quadro de mona lisa leva a pessoa a pesa como ele foi crenado com tata perfeição.

    ResponderEliminar
  2. EU ACHO QUE HA UM GRANDE SEGREDO POR SIMA DESSE QUADRO COMO CODIGOS QUE NINGUEM CONHECE...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode mesmo existir o segredo...veremos quem o descobre!

      Eliminar
    2. chama aquele cara de: A lenda do tesouro perdido

      Eliminar
    3. chama aquele cara de: A lenda do tesouro perdido

      Eliminar
  3. Muito boa a "escrita" nos comentários! Crianças escrevendo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. assistam o filme o ''o código da vinci'' fala sobre mona lisa e outros quadros famosos de leonardo da vinci.

      Eliminar
  4. não ouvi ninguém falando ainda sobre a falta de sobrancelhas...fazendo a figura enigmática por falta delas...

    ResponderEliminar