quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Les demoiselles d'Avignon, de Pablo Picasso

Les demoiselles d'Avignon ou As Meninas de Avignon foi terminado em 1907 no atelier de Pablo Picasso, em Montmartre, Paris. Esta obra de um dos mais geniais artistas do século XX tornou-se emblemática da sua criação e foi considerada a precursora do movimento cubista nas artes plásticas.

"Horrível", "chocante" ou "monstruosa" foram epítetos que lhe foram atribuídos, para apenas muitos anos mais tarde vir a ganhar o seu lugar na história da arte e ser considerada obra fundadora da arte moderna.

O título da obra seria dado anos após a sua execução e não se refere à cidade de Avignon (nome naturalmente pronunciado em França) e sim a uma rua (Carrer Avinyó) de um bairro mal afamado de Barcelona. Picasso tinha a intenção de representar uma cena de bordel, acabando por fazer uma composição de cinco nus e uma natureza morta.

Picasso terá abandonado gradualmente o "lirismo melancólico" do seu Período Azul e adoptado um estilo mais agressivo e "vigoroso". O criador renunciou também à imitação de um mundo objectivo que, aliás, ele próprio tinha exercitado. Rompeu com as leis da perspectiva, negou a concepção clássica da beleza e esqueceu as proporções e a integridade do corpo humano, apresentando distorções angulosas de figuras e remetendo-nos, em duas das imagens representadas, para o imaginário da arte primitiva, nomeadamente para a rusticidade das máscaras de origem africana.

As figuras tornam-se superfícies geométricas fragmentadas e a "destruição" espalha-se pelo resto do quadro. A esta nova matéria prima, construída segundo princípios diferente dos da Natureza, e plena de novas arestas e ângulos, os primeiros críticos chamaram cubismo.

Picasso teve de ultrapassar a rejeição dos seus amigos, colegas e do meio em geral. "Os seus quadros são uma ofensa à natureza, às tradições, à decência. São abomináveis", lia-se na revista nova-iorquina The Architectural Record. Geoges Braque , co--fundador do movimento cubista diria perante As Meninas de Avignon que "alguém tinha bebido petróleo para expelir fogo".

O quadro só seria adquirido em 1924, quando o escritor surrealista André Breton convenceu o coleccionador francês Jacques Doucet a investir na obra que, segundo este, transcendia a pintura e era um retrato de tudo o que se passara nos últimos 50 anos.

Fontes: DN

 Les demoiselles d'Avignon - Pablo Picasso

 Paul Cézanne  - Les Grandes Baigneuses , acredita-se ter sido uma inspiração para a obra Les Demoiselles d'Avignon 
Arquivo: Paul Cézanne 047.jpg

Arquivo: Fang máscara Louvre MH65-104-1.jpg
Máscara africana semelhante às que Picasso viu em Paris antes de pintar Les Demoiselles 
d'Avignon


Sem comentários:

Enviar um comentário